CUPULATE - INVENÇÃO DA EMBRAPA

Documentos, recortes de jornais e publicações não deixam dúvida: a Embrapa Amazônia Oriental foi o primeiro a desenvolver o produto, há 17 anos. Chocolate de cupuaçu e não de cacau já é realidade na Amazônia há muitos anos. Após o despolpamento da fruta, o que até então era um subproduto sem nenhum valor, está se transformando no produto batizado de cupulate. Parte da produção de sementes do Pará, o maior produtor de cupuaçu do Brasil, já não vai para o lixo ou compor a ração de suínos. O Estado do Amazonas tem adquirido, anualmente, 40 toneladas de sementes para abastecer a Chocam, empresa que produz cupulate e que tem sede em Manaus .
O produto há 17 anos foi disponibilizado pela Embrapa Amazônia Oriental, órgão do Ministério da Agricultura e do Abastecimento que tem sede em Belém e há 12 está patenteado junto ao Ministério da Indústria, do Comércio e do Turismo, no Instituto Nacional de Propriedade Intectual (INPI).
O cupulate, como explica a pesquisadora responsável pela tecnologia, Raimunda Fátima Ribeiro de Nazaré, é resultado da industrialização das sementes do cupuaçu, fruteira tipicamente amazônica, que pertence ao mesmo gênero do cacau (ambos são Theobroma).
As sementes, matéria-prima do cupulate, são ricas em lipídios, proteínas e calorias e depois de fermentadas, torradas e moídas geram um produto, que garantem os especialistas, não deixa nada a desejar ao chocolate tradicional, com composição química e nutricional bem semelhantes. A diferença fica por conta do teor de manteiga que é ligeiramente superior ao do produto de cacau.
Em 1983, a pesquisadora iniciou os estudos concluídos dois anos depois e em 1990, o Boletim de Pesquisa nº 108,editado pela Embrapa-Cpatu e o pedido de reserva de patente de processo e produto junto ao Ministério da Justiça/Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) (Nº PI 9003739), oficializaram a tecnologia. Periodicamente, a Embrapa efetua o pagamento das taxas de manutenção dessa patente.
Estimativas apontam 1.289 hectares plantados com cupuaçuzeiros adultos no Pará e uma produção estimada em 6.453.000 frutos, o que corresponde a 1.807 toneladas de polpa. A quantidade de semente produzida, porém, não consta dos levantamentos oficiais.

Texto:Ruth Rendeiro, jornalista da Embrapa Amazônia Oriental
Originalmente publicado EM 1999 no Jornal do Trópico Úmido,